sábado, 8 de novembro de 2008

VOCAÇÃO



Latifúndio improdutivo, de difícil acesso,
marimbondos e espinhos na conquista do chão.
Doloridas estacas, arame farpado,
razões divididas em glebas passionais.
Abundantes canteiros que nutrem o destino,
cultivando descrenças em sombras totais.
Transgrido espaços em distâncias mentais
Arranco do peito limites banais
A dor do sulcar no arar as entranhas
me leva a pensar no mudar da semente.
Semente de vida, germinando razões,
forçando-me a querer cultivar corações

Um comentário:

Marli disse...

Querido Fernando!

Obrigada pela sua torcida. Infelizmente foi impossível atender teu pedido. Foi uma correria só. Muito trabalho, agenda cheia. Mas meu pensamento lembrou de você. Abraço!