sábado, 1 de junho de 2013

OPOSIÇÃO NÃO MUDA: "FARINHA DO MESMO SACO"


         
           O bolsa família deveria ser um programa temporário, aplicado em casos excepcionais para promover o alívio imediato da pobreza por meio da transferência direta de renda e contribuir para romper o ciclo da pobreza, erradicando a miséria no país. 
            De olho nas eleições de 2014, PSDB e PT já começaram a se digladiar sobre a paternidade do plano e os ataques de sempre recomeçaram.
            No final da década perdida e inicio dos anos 90, por causa das crises econômicas, inflação e miséria que se alastravam na América Latina, o BID e o Banco Mundial foram os primeiros a propor transferência de renda para as camadas mais pobres da sociedade, na época, o governo FHC deu o pontapé inicial criando o "Bolsa Escola", a única condição era o filho estar na escola, nesta época também foi criado o cartão para o saque do benefício para que intermediários (prefeitos, vereadores etc.) não tirassem vantagem política do beneficio. Ainda naquele governo o Ministério da Saúde lançou o "Bolsa Alimentação", que era destinado às grávidas no pré-natal, e sucederam-se os benefícios... antes disso tivemos o "ticket leite" (Sarney) e o auxílio-gás (Itamar).
            O governo Lula unificou e ampliou todos estes planos no "Bolsa Família", e hoje estamos a um passo de erradicar a pobreza extrema no país, e como bem disse a presidenta Dilma: “o fim da miséria é só o começo”, e, “por não termos abandonado o povo, a miséria está nos abandonando”.
          Mas conversa de oposição não muda, é sempre a mesma coisa, já apelidaram de "bolsa Maternidade" e, ao contrário da China onde vigora a lei do filho único, o "Bolsa Família" está patrocinando o "crescei e multiplicai político"... mais brasileiros para votar em quem estiver no governo, daí a discussão sobre a paternidade do plano.
                   Uma vez na oposição, parece que todos embarcam no túnel do tempo, e dirigem-se ao Segundo Reinado, e, "tal e qual" os políticos dos Partidos Conservador e Liberal, mergulham na mesma farinha política... sempre no mesmo saco".
                     Apesar de farinha, o saco todo, quando na oposição, não deixa de ter suas razões... "temos uma parte da sociedade que, pelo alto grau de empobrecimento é conduzida a pensar pelo estomago e não pela cabeça (...) isso na verdade é uma peça de troca para época de eleição" (no vídeo)


               

Nenhum comentário: