terça-feira, 28 de setembro de 2021

EDUCAÇÃO SÓ PARA ADULTOS OU PARA TODOS?

 

RASCUNHO E DIVERSÃO ONLINE


             Nas comemorações dos 100 anos de Paulo Freire, fiz um comentário no post do Jornalista Ramiro Batista sobre esse grande brasileiro (trouxe a foto de sua postagem), que transcrevo agora para quem se interessa pelo assunto.
          Gostaria muito de ser contestado pelos meus amigos, professores, isto porque minhas dúvida não são como as mesmas da militância bolsonarista, em sua maioria de quem só sabe de Paulo Freire pelos memes da militância distribuído pelo governo.
                   Minha prática sempre foi, de certa forma, muito mais "freiriana" do que o discurso da maioria dos professores que conheço, e que defendem  intransigentemente o patrono da educação mas, contraditoriamente, praticam o que ele mais condenava, a "educação bancária", depositar conhecimento na cabeça do aluno. 
                   Como estou sempre questionando e duvidando de tudo, não acho saudável o "endeusamento" de qualquer ser humano, por isso coloquei o vídeo do filósofo e educador Armindo Moreira, do qual discordo 100% da sua opinião dele em seu livro  "Professor não é Educador", mas coloquei acima o vídeo como contraponto à utilização do método Paulo Freire, já que realmente seu método funcionou, 
comprovadamente,  para educação de adultos.
                       Ninguém te 40 títulos de "honoris causa" por nada, afinal é o intelectual brasileiro mais citado no mundo, e realamente o método que criou e utilizou para alfabetizar quase quatro centenas de adultos analfabetos, em apenas 40 horas, com uma hora por dia, é o que lhe deu, por merecimento, todo o prestígio que tem, esse 
fato ocorreu em 1963, em Angicos-RN, e alfabetizou utilizado a realidade que aquelas pessoas viviam. 
                
Nessa semana de comemoração dos 100 anos de Paulo Freire vi um exemplo bastante emblemático sobre o seu método, que foi utilização da realidade daquelas pessoas para aplicar seu método. Quando ia ensinar para um pedreiro e usava a palavra “tijolo”, para a cozinheira “cebola” para alfabetizar, que serviam de “start” para falar sobre a realidade que eles estavam inseridos. 
                       
A razão de ser tão contestado, principalmente por pessoas que defendem um regime autoritário, militarização de escolas e são saudosistas da OSPB, é porque junto com o “tijolo”, além da alfabetização ele dava as pessoas o senso crítico: “tijolo” serve para construir casas... Porque que você não tem casa? E naquela época o que menos interessava ao governo autoritário é que alguém questionasse
 
Mas muita coisa mudou de lá para cá, e duas delas foram o fim da guerra fria e o nosso país ter se tornado democrático, e o questionamento agora, independente de política, é pragmático
                  
Em 2019, na classificação do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) o Brasil ficou em 57º lugar em 70 países para estudantes a partir do 7º ano do ensino fundamental, com média de 15 anos. Das duas uma, ou o método Paulo Freire não está sendo aplicado corretamente ou ninguém segue porque realmente não é adequado para alunos dessa faixa etária
 
- É um método exclusivo para alfabetização de adultos?
 
- Quantos países do mundo utilizam o método Paulo Freire?

-  Há também muitas falsas informações sobre esse grande brasileiro

          


           
           

Nenhum comentário: