segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

NAVEGAR-ME

Apesar do comentário jocoso do meu genro sobre a direção do meu olhar: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=778601965489194&l=6c39989f28), em vez da desculpa dos 500 anos de história, preferi associar a foto aos meus versos, ou ao poema "INVICTUS" (link acrescentado em 13/08/2019), de William Henley




NAVEGAR-ME
Vaidades ocultas
orientando virtudes,
máscaras de luz
corrompendo atitudes.

Egoísmo presente,
desencadeando dor,
destruindo nascentes
que brotam amor.

Arraigadas verdades
impedindo o saber,
confundindo os caminhos
dos que querem aprender.

Vontade incontida
de soltar o espírito,
das mentiras que inibem
o inevitável crescer.

Dar velas aos sonhos,
descortinando a visão.
desfazendo os nós
das amarras ao chão.

Sair da deriva
da falta de ventos,
da vida passiva
sem questionamentos.

Buscar outros rumos
mais cheios de norte,
navegar os sentidos
na certeza da sorte.

Nenhum comentário: