quarta-feira, 10 de julho de 2019

PETROBRÁS, PRIVATIZAR NÃO É MAIS UMA QUESTÃO IDEOLÓGICA


RASCUNHO, DIVERSÃO E ARQUIVO ONLINE 



Rascunho online
         No Brasil, segundo o IBGE, a expectativa de vida em 2019, é de 80 anos para mulheres e de 73 anos para homens. Se 18 anos já não significa muito tempo na vida de um brasileiro, que dirá esse tempo para um país como o nosso? Pois essa é a estimativa duração do nosso petróleo (clique no link) se a exploração continuar no ritmo atual.
         Já fui contra a privatização da Petrobras por saber que o petróleo é estratégico e a empresa um poderoso instrumento de política econômica, mas a médio prazo já não tenho tanta certeza, e digo isso como leigo, e mesmo tendo ligações afetivas com a empresa, já fui funcionário concursado da Petrobrás 
Distribuidora  (clique no link), meu genro travbalha na empresa e tenho alguns amigos próximos que também trabalham lá, e que certamente não concordam comigo, mas deixei de pensar assim depois do Petrolão, e das perspectivas, também a médio prazo, no uso de energias renováveis, e a consciência de que quanto mais empresas estiverem explorando petróleo, mais rápido poderemos usufruir seus recursos, principalmente se a maior parte de seus royalties forem destinados à saúde e educação.
          É preciso que se pense no fim do monopólio e na privatização da Petrobrás sem ideologização, isto porque as energias renováveis e menos poluidoras irão substituir o petróleo em um tempo muito menor do que se possa imaginar.
          O que o governo não pode perder nesse processo é o chamado "Golden Shere", que lhe permita o poder de vetar questões estratégicas de interesses sociais, o lado bom é não ter políticos administrando a petrolífera, raposas tomando conta do galinheiro. 

IMPORTANTÍSSIMA a opinião do anônimo nos comentários, que me inspirou neste post mais de três anos depois, afinal, é penoso, eventualmente, ter que admitir outras possibilidades e abrir mão de algumas convicções, mas esta postura faz parte de uma dinâmica, às vezes dolorida, mas perfeitamente compreensível para quem entende que só a burrice é estática.




           
          

Um comentário:

Anônimo disse...

Nenhum monopólio é saudável. Quanto à privatização da PTrobrás, só para não acirrar paixões, não precisa. É só abrir os"portos" para que ela demonstre a sua competência.