quarta-feira, 25 de março de 2020

CORONAVÍRUS: A ECONOMIA OU AS PESSOAS?


Gaveta virtual, guardando meus rascunhos online


       Com a mudança do epicentro do coronavírus da Itália para os EUA vamos demorar alguns dias para saber se Roberto Justus está com razão, e isso vai depender da atitude de Trump, se ele vai optar por salvar primeiro as pessoas ou a economia.
          O prefeito de Nova York já se posicionou pelas pessoas através da Lei Matilda (nome de sua mãe que tem 82 anos), mas pela similaridade das opiniões entre Trump com as do nosso presidente Bolsonaro, tenho lá minhas dúvidas se a quarentena lá será como no resto do mundo.
         Tenho repetido minha tese de que as reações radicais, não importa se de direita ou esquerda, são a "terceira lei de Newton na política: ação igual e em sentido contrário", prova disto são as atitudes de Daniel Ortega (Clique) na Nicarágua

quinta-feira, 19 de março de 2020

VISÃO LATERAL DE ESQUERDA



CADA UM ENXERGA SÓ O QUE QUER
1

Partindo do principio que nunca vou aprender nada com quem pensa igual a mim, e talvez como uma forma de minimizar a importância que normalmente damos a nós mesmos, fiz este despretensioso post no Facebook:



2
Do nada, como se eu estivesse falando do coronavírus, economia ou política, um amigo veio com essa:
3

 Minha resposta

RAUL SEIXAS (CLIQUE)
4
 Traduzindo: o que eu disse é que sou liberal, admiro as ideias liberais que tenho em comum com o ministro, aí um segundo amigo interferiu:

5
Aí ele deixou a preguiça de lado e trouxe o tal post que disse que eu elogiava Paulo Guedes, lá eu dizia
exatamente o contrário, falava que ele tinha pisado na bola quando disse que o pior inimigo do meio ambiente é a pobreza,
e finalizei dizendo que "com as pessoas tenho sempre um pé atrás"





sábado, 14 de março de 2020

FAKE NEWS SOBRE O CORONAVIRUS DO PRESIDENTE


           
      Cunhei há pouco tempo aqui no Bloguetando a expressão “DESINFORMADO FUNCIONAL”, que é aquela pessoa que só consome mídias afinadas com suas crenças pessoais, e quanto a isto o jornalista REINALDO AZEVEDO é uma unanimidade, é rejeitado tanto por petistas, quanto por bolsonaristas.
Infelizmente o equilíbrio não é uma prioridade para a maioria das pessoas, não consigo entender a fascinação que muitos sentem pela unilateralidade.
        Outro dia defendi da liberdade de imprensa quando foi divulgado aquele programa de natal do Porta dos Fundos, não que eu tivesse concordado com alguma coisa do que disseram, mas por um principio anterior, que o mal é muito pior para a sociedade quando há censura. 
       Aí aparece aqui um religioso se sentindo agredido, esbravejando comigo como se Deus precisasse de sua ajuda para Defendê-lo daquele programa.
       As ideias são medidas pelas reações que elas provocam, e se não tem valor, são ignoradas e passam despercebidas. Será que algum religioso se lembra ainda daquele episódio? Alguém deixou de frequentar sua igreja porque assistiu o programa? Faça uma relação entre esse episódio e o cerceamento da imprensa e a falta de informação sobre as intenções de Hitler na Segunda Guerra Mundial. 
       Há um pouco mais de duas semanas fiz uma postagem aqui "Qual o seu lado?", quando falei da " lügenpresse", o ataque à imprensa livre, técnica usada por Joseph  Goebbes, gênio da propaganda de Hitler, sempre com cunho patriótico, moralista e religioso, que usaram para neutralizar as criticas ao nazismo antes da Segunda Guerra Mundial.
       As pessoas independentes e honestas, não importa se de direita ou esquerda, deveriam sempre se prevenir contra qualquer tipo de Fake news, um flagelo que ainda temos muito que aprender.

COVID-19/2022, O NOSSO CORANABURRICE DEMOCRÁTICO


Gaveta virtual, guardando meus rascunhos online
        
"Elimine a causa e o efeito cessa"
Miguel de Cervantes
        Vivem me rotulando de estar sempre "em cima do muro" por eu não ser filiado a nenhum partido político e estar sempre criticando os dois lados das principais lideranças do nosso país. 

        Sou RADICAL e vou à raiz do problema,  nunca em minhas insignificantes opiniões apoiei essa ideia tresloucada de fechar o CONGRESSO NACIONAL, mas admito, é CAUSA PRIMEIRA de todos os males da nossa democracia.

        A segunda irregularidade, apesar desses malucos a colocarem no "mesmo saco", mas que não faz parte da causa, é essa campanha para fechar o STF, Supremo Tribunal Federal, quando o que precisa ser feito não é fechar, mas mudar a forma como são indicados, o tempo de mandato dos ministros, e diminuição de suas atribuições, para isso é necessária a prisão em segunda instância e que todos os recursos terminem nos tribunais regionais, deixando para o STF, órgão máximo do Poder Judiciário, a sua importantíssima função que é proteger a Constituição da República Federativa do Brasil.

        Sei de antemão que LULAS ou BOLSONAROS nunca poderão mudar a forma de governar nosso país, já que constitucionalmente quem governa é o povo, que por sua vez não tem controle algum sobre os deputados e senadores que elegem, e a única coisa acredito, e  nesse governo tem o vice-presidente, General Mourão, que também defende esta que é a ÚNICA saída política possível para o nosso país... VOTO DISTRITAL.

       Lula teve prestígio e oportunidade para fazer uma verdadeira revolução, mas seus únicos objetivos foi manter a sua popularidade pessoal e a transparente intenção de perpetuar o PT no poder, para isso interferiu na principal base de nossa democracia com o Mensalão, usando com dinheiro vindo de "propinodutos" como o Petrolão, desvios de fundo de pensões de estatais e tantas outras falcatruas.

       Já para o Presidente Bolsonaro não precisa interpretação para entender suas intenções, estão explícitas nas IDEIAS que sempre defendeu enquanto deputado, e que agora entre ditos e desmentidos, essa intenção é verbalizada na voz de seu principal assessor , o filho Eduardo Bolsonaro: "radicalizar"  uma das respostas do governo poderá ser 'viabilizar um novo AI-5" ou "você não manda nem um jipe, bastam um cabo e um cabo para FECHAR o STF".

sexta-feira, 13 de março de 2020

AS VERDADES DE CADA UM

  

terça-feira, 10 de março de 2020

ADENOMA FÍSICO E ADENOMA POLÍTICO



Gaveta virtual, guardando meus rascunhos online



Quem diria... no vídeo Gilberto Carvalho faz a “mea culpa” 


       Há uns quatro anos caí de moto, a pancada foi tão forte que apesar do capacete, desmaiei, e sempre que isso acontece, a primeira coisa que fazem no hospital é uma tomografia.
       Como "há males que vem para bem", por causa do acidente fiquei sabendo que tinha um adenoma, e se crescer e pressionar o nervo óptico corro o risco de ficar cego.
       Desde então tomo "Carbogolina" uma vez por semana, e para ver se não está crescendo faço tomografia todo ano. Junto com a tomografia também tenho que ir ao oftalmologista olhar o fundo de olho e fazer o exame de perimetria computadorizada, que consiste em apertar um botão, na mão direita ou na esquerda, quando acenderem luzes, que vão acendendo aleatoriamente alternando os lados,  à direita ou esquerda, isto porque se o adenoma crescer e comprimir o nervo o primeiro sintoma é afetar a visão periférica.
      Contei esse fato para fazer uma analogia entre o meu adenoma físico e um adenoma político da política brasileira que perdeu a visão periférica, tanto na direita quanto na esquerda, confirmando o que para mim é a terceira lei de Newton na política... “as ações dos governos anteriores provocaram uma reação igual e em sentido contrário”.
           Entendo o desconforto quando uma ideia não coincide e até agride tudo que acredito ou elaborei em minha cabeça que possa me aproximar de situações que  melhore a minha vida e a vida das pessoas, mas não adianta "eu querer", os problemas e as soluções tem que ser resolvidos um de cada vez e discutido democraticamente por TODOS, uma vez eleito o governo é, repito, de TODOS. 
         Incomoda-me essa guerra de "argumentos empacotados de ideias casadas", as "nossas" e a "deles", aborrece ver páginas inteiras repetindo exatamente as mesmas coisas escritas nas páginas de outro "repetidor", é por isso que também repito tanto a "IDEIA" contidas no versículo de Paulo 5:21: "Examina tudo e retenha só o que for bom", é muito difícil separar as coisa boas das ruins quando estão juntas, e sempre estão, tanto as "nossas", quanto as soluções dos "outros".

QUAL O SEU LADO? (Clique no link)

segunda-feira, 9 de março de 2020

MAU-CARÁTER


Gaveta virtual, guardando meus rascunhos online





 COMO IDENTIFICAR UMA MENTIRA?

       Independente da posição política, maus-caracteres são todos os que compartilham ou fazem comentários sobre mentiras sem ao menos procurar saber se são ou não verdadeiras
                 Como identificar um fake news?
                Você digita no Google, por exemplo, a informação que o ex-deputado Jean Wyllys defendeu pedofilia, Boatos, nesse caso vc nem precisa ir a um sites específicos, o próprio Google, na lista de links, já te responde.
                 Se ainda assim, por desonestidade, você continua tratando o assunto como se fosse verdade, você não está mais fazendo política, é tão criminoso quanto aqueles que você diariamente combate nas redes sociais.
               Lista de sites para os canalhas medirem quantas mentiras compartilharam ou comentaram nos últimos tempos:

1- Aos Fatos

2- Boatos

3- E-Farsas

4- Fato ou Fake

5- O Comprova

6- Agência Pública – Truco

sexta-feira, 6 de março de 2020

ETIMOLÓGICAMENTE SOU UM RADICAL LIBERAL



Gaveta virtual, guardando meus rascunhos online


             Ferrenho seguidor da ideia contida nas palavras Paulo, em Tess 5:21: "Examinar tudo e reter só o que for bom", tirei todos os penduricalhos da postagem que publiquei em julho/2014, e desfraldei a bandeira do livre pensamento como expressão máxima da minha militância política.
          Não consigo aprisionar meu pensamento nesse cárcere bipolar de esquerda/direita, por isso luto com todas as forças do coração contra essa tendência circadiana de olhar a política como se ela tivesse características biológicas inalteráveis como  vigília e sono ou vida e morte. Ao contrário disso, pode haver sim pontes de entendimento ligando posições antagônicas em benefício do país, dois exemplos que gosto de usar é a política na Finlândia, e o outro foi aqui mesmo no Brasil com a união entre Lula e o meu conterrâneo muriaeense José Alencar, um líder do Sindicatos dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e outro líder do Sindicato dos Patrões, no Sindicato das Industrias de Fiação e Tecelagem de Minas Gerais. 
                   A esquerda sente repulsa até pela palavra liberal, mesmo quando digo que minha liberalidade é a mesma para tudo na vida. Já para a atual direita brasileira a palavra soa como música aos seus ouvidos quando digo que sou liberal na economia, mas igualmente rejeitam meu liberalismo nos costumes. "Os dois lados" cobram lateralidade em minhas posições, quando a única coisa que desejo é estar à frente ou no alto dessas posturas insignificantes.
          Tudo que escrevo e penso é fruto do meu idealismo pragmático (contradição?), "do meu coração sempre dividido entre o sonho e a razão", não fosse por isso acreditaria no “Fim da História" de Fukuyama, mas apesar de não ser economista, concordo com ele que o capitalismo é o mais eficiente sistema na produção de riquezas, porém, sei também que sua essência é baseada na ausência de regulamentação, que é exatamente a gênese de todas grandes crises sociais e econômicas que volta e meia abala o mundo.
               O simples fato de já haver uma prática de governos interferirem no mercado  para conter distorções e especulações, já é um indício de que esse suposto "fim da história" nunca acontecerá, ao contrário, Adam Smith deve estar se revirando no túmulo, se já não estiver de ponta cabeça, depois que os EUA, o maior país capitalista liberal do planeta, ter injetado trilhões de dólares para salvar as maiores companhias americanas na crise imobiliária de 2008, uma interferência do Estado muito mais radical, à esquerda, do que as medidas praticadas por Lord Keynes para debelar a “Crise de 1929".
                Minhas dúvidas são comuns a todos que tem sinceras preocupações sociais com os menos afortunados, mas só o capitalismo pode fazer frente às demandas de recursos para financiar *benefícios sociais  como o SUS ou o Bolsa família (Aqui também) independente dos nomes de quem criou o Bolsa Família, eu mesmo participei de seu embrião nos anos 80, ajudando o Centro Espírita Anjo Gabriel (ver na barra lateral aqui do blog: "Não sou espírita") distribuir ticket de leite no bairro Aeroporto, aqui em Muriaé, lá no governo Sarney. Teve também o Bolsa escola, Bolsa Alimentação e o auxílio-Gás, a unificação de todos resultou no bem sucedido Bolsa Família, engana-se quem pensa que a "roda" foi inventada depois.
    Em um país tão carente e desigual como o nosso essa dicotomia entre a eficiência na produção de riquezas e gastos sociais estratosféricos, não tem sustentação alguma, quer seja no socialismo científico de Karl Marx ou no capitalismo liberal de Adam Smith, meu medo é que aqui no Brasil, matem a "galinha dos ovos de ouro" jogando dinheiro pelo ralo nas más administrações de empresas estatais, descontinuidade de políticas públicas, e, para mim, o pior de todos os males, parlamentares sem vínculos com eleitores (voto distrital)
           Meu medo é que confirmem o prognóstico da ultradireitista Margaret thatcher: "O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros", sei que esse meu entendimento leigo de economia não está nos planos da esquerda, tampouco da direita, nos dois predomina "a fome com a vontade comer"... Um lado quer secar com a fonte, tirando mais água do que colocando, do outro lado só alguns poucos bebem a água. A hegemonia de qualquer um desses dois lados seria o mais completo caos.
         É difícil fazer entender aos que me cobram "lado", a essência e a amplitude do livre pensamento, como fazê-los entender que as divergências políticas são como afluentes de um mesmo rio, as águas podem até não se misturarem por um determinado trajeto, muitas vezes conturbado, mas acabam desaguando juntas num mesmo oceano que "deveria" ser o bem comum. 

*   Independente de esquerda/direita, liberalismo/socialismo, em um país com tantas diferenças sociais como o nosso, é imperativo que o governo tenha mecanismos para diminuir esses desequilíbrios, e esses dispositivos precisam estar incluídos no orçamento, porém, não se pode perder de vista que dinheiro não tem geração espontânea. Se o país gasta muito mais do que arrecada, faltará investimentos na produção e na infraestrutura, consequentemente, comprometerá o emprego.

quarta-feira, 4 de março de 2020

PELEUMONIA E OS ERROS DE PORTUGUÊS


         "Peleumonia existe sim, eu mesmo já vi várias, com febre interna, e o termômetro não mostra, disintiria, quebranto, mal olhado, quebrano, cobreiro, vento virado e espinhela caída.
Eu tô aqui pra modo de atestá que quem sabe o que tem é quem sente, eu quero ovi ocê desse jeitinho pra modo da gente se intendê, porque pra mim foi dado a chance de conhecê as letras e os livro, pra você só deram a chance de dizê, podi dizê, eu quero ouvir.
Eu estudei, sou médica, eu sei o que a pessoas está querendo dizer, eu sei porque eu tive a chance de estudar, e ela só tem a chance de dizer o que ela sente" 
         Da  Dra. Julia Costa, médica, cantora e escritora sobre a reportagem do médico debochado:  
         Trabalhei com uma professora de Português, extremamente maledicente, que adorava falar mal de "Deus e o mundo".
          Na sala de professores, na hora do recreio, ouviu "poucas e boas" de outra colega sobre esta sua falha de caráter, mas em vez de pedir desculpas ou se calar, aumentou o tom da voz para corrigir um erro de português da indignada colega.
          Achei bizarro, e apesar de tantos anos, nunca me esqueci desse fato, até porque é exatamente aí que meu "rabo prende".

domingo, 1 de março de 2020

PAULO GUEDES?



         Apenas um porta-voz e "instrumento de ação" de ALGUMAS das minhas ideias sobre liberalizar a economia, mas sempre consciente de que nada é tão absoluto ou imutável que não possa ser adaptável às necessidades de novas percepções.
             Detesto pensar em soluções pontuais sob perspectivas ideológicas imutáveis e gerais, se assim fosse me limitaria a uma reles "sensação de impotência" diante das desigualdades sociais que me deprimem no dia-a-dia.
              Tess 5:21: "Examina tudo e retenha só o que for bom"

Publicado no Facebook em 02/03/2020