sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

OS ATEUS E OS RELIGIOSOS COM SUAS CRENÇAS E, AO LARGO, NÓS, OS AGNÓSTICOS

           RASCUNHO DOS MEUS PALPITES LEIGOS E DIVERSÃO ONLINE

Na ilustração, a bela pintura feita pelo meu amigo Walério Torres, baseado nas fotos que eu e a Inês tiramos no Zoológico de Luján, na Argentina, e a inevitável gozação que meu filho fez associando a pintura com aquela gravura difundida sob a forma de santinhos pela igreja "Testemunhas de Jeová" sobre o paraíso na terra.
Clique para ampliar 

        O ateu "crê" que a vida termina com a morte, exatamente da mesma forma como os religiosos creem na vida eterna, quer seja como céu e inferno, paraíso na terra, um local reservado para o gozo ou a pena dos espíritos desencarnados, etc.
        Fiz esta analogia porque tenho um "amigo" ateu aqui no Facebook que escreve muito bem, com um imenso conteúdo diário, com textos enormes (os meus são pintos, comparados aos dele) uma "bíblia" às avessas sobre sua certeza de que tudo termina com a morte, faltando apenas compilar sua "crença" em capítulos e versículos ou com suratas e versos sobre a produção de seu ego esperneante.
          Participei duas vezes em suas publicações, a primeira, em um grupo de Filosofia que frequentamos, por causa de uma ideia análoga sobre interferência da religião na política, e a outra quando me chamou de idiota por eu o ter interpelado em uma de suas publicações, que no Brasil seria criminosa, quando ele disse, de uma só vez, na mesma postagem, que era favorável à eugenia, era homofóbico, misógino, racista, xenófobo, e mais um monte de besteiras anticivilizatórias, típicas da extrema direita mundo afora.
         É só ler o último parágrafo do link que citei acima (ideia análoga) para constatar que há uma estreita ligação com suas afirmações racistas com minha publicação, poderia ser até uma provocação.
          Um outro amigo, militante social em Angola, preto, Lucas YK, perguntou se ele odiava negros, e a resposta foi: "se um negro odeia branco, então esse negro também é racista", decepcionado com a postura de quem eu admirava até então, não pude deixar de participar daquele inominável atraso humanista, e indaguei: "se você se declara racista e diz isso, então você também odeia negro"? Ou se expressou mal?
           Ele respondeu demonstrando mais racismo ainda, "não odeio negros, mas não me relaciono socialmente com negros, não tenho amigos negros, e que nunca me casaria com uma negra", acrescentando, "assim como não discuto com brancos idiotas e sem informação, fiz-me entender?” Logo depois apagou a postagem.
         Termino meu post com três links falando do que mais está faltando em nosso planeta: EMPATIA, e, sobretudo, TOLERÂNCIA: AQUI, AQUI e AQUI.



quinta-feira, 18 de novembro de 2021

VOTO CONSCIENTE – ENSAIO PARA UM SONHO DE CIDADANIA

 


           RASCUNHO DOS MEUS PALPITES LEIGOS E DIVERSÃO ONLINE


         Os sonhos que tinha no século passado estão amarelados, 
    I Tess 5:21 "Examina tudo e retenha o que for bom", na política é quimera... já era!.... Desaprendi, ontem antecipei um "possível" voto, quando o correto seria manter-me "eleitor indeciso".
 

Agradecimento ao saudoso médico e jornalista, Dr. Waltecy Antônio Garcia, que mesmo com todas as minhas limitações, sempre dava uma colher de chá para publicar minhas ideias na
   GAZETA DE MURIAÉ
         " Atendendo a um convite da minha amiga, Professora Lea Porto, para que junto com outros professores da área, trabalhássemos como os alunos a questão das eleições, resolvi, diante da importância do tema, expandir para fora dos portões da Escola “Olavo Tostes” assunto tão importante.
         Falta pouco tempo para as eleições, as propagandas eleitorais nem começaram e as pessoas já estão definindo seus votos. Em breve começarão as disputas pelo chamado eleitor indeciso, termo muitas vezes inadequado, pois não se pode considerar indeciso quem se reserva o direito de examinar, desde agora até o fim da campanha, o melhor para o país. Evitar posicionar-se antecipadamente parece ser o mais sensato, à vista dos problemas econômicos e sociais que temos, diminuir a margem de erro nesta escolha é dever cívico de todos.
        Num exercício de cidadania, abrindo mão momentaneamente de nossas convicções, e buscando apenas uma proximidade com a verdade, deveríamos fazer uma simulação de posições, um faz-de-conta ideológico para tornarmos mais abrangentes, e virtualmente, como se estivéssemos num simulador de voo, voar nas ideias contrárias às nossas, experimentá-las por dentro, provar-lhes o sentido, dar-lhe todas as razões, senti-las nossas, e só então...condená-las.
        Da mesma forma, atacar nossas certezas, colocando-as ao avesso, expondo-lhe as fraquezas, procurando-lhes os defeitos, interpretá-los por uma ótica contrária, e só então defendê-las. Neste exercício, incorporaríamos novos valores, abriríamos novas perspectivas em nossas vidas, seríamos menos sectários e, certamente, mais universais.
        Este posicionamento vale tanto para quem se coloca à esquerda ou à direita do razoável, pois precisamos mesmo é libertar-nos de verdades que em vez de somar, só dividem. Não podemos mascarar nossas limitações com grandezas que não são nossas, nem transferir para semideuses problemas que nós mesmos, com sacrifícios, teremos que resolver. Precisamos, no somatório das forças populares, a solução para as dores dos nossos irmãos mais sofridos, e criar novas perspectiva de vida para todos nós.
        O grande entrave quando se fala de “forças populares” é a praga da demagogia, que sempre foram usadas, de formas distintas, tanto pelas elites, como por aqueles que se dizem os verdadeiros representantes do povo.
        É ingenuidade pensar que alguma proposta possa ser perfeitamente boa ou fatalmente má. Não existe mágica ou milagres na política, assim como não há bônus sem ônus, ou, despesas sem receitas, a questão é, como tudo na vida, de equilíbrio... descobrir a dose exata do que se pode gastar e do que se pode pagar, do que pode curar e do que pode matar.
        Quando o objetivo é buscar a verdade, as opiniões contrárias são como afluentes de um mesmo rio, onde cada um dá a sua contribuição para o crescimento deste rio, e que, ao final de um restrito trajeto onde as águas eventualmente não se misturam, acabam unidas, desaguando num mesmo oceano que é o bem comum.
        Nossa sociedade precisa mesmo é de uma verdadeira democracia, um fórum mais abrangente, onde a população possa acompanhar o desempenho dos políticos e ser frequentemente consultada, e não se manifestar apenas de quatro em quatro anos.
Que se acredite verdadeiramente que “a voz do povo é a voz de Deus”, e no princípio constitucional de que “todo poder emana do povo, e por ele, e para ele deva ser exercido”, para que se diminua o espaço daqueles “sepulcros caiados” que manipulam a vontade popular, mas que não acreditam, de fato, que o povo tenha capacidade de traçar seus próprios desígnios.
         Precisamos fazer com que a vontade da maioria prevaleça sobre todas as conveniências, para que se possa efetuar as verdadeiras e necessárias transformações que irão precipitar o início de uma nova era, onde a justiça e o bem comum prevaleçam sobre quaisquer interesses, e a fraternidade possa ser a principal norma de conduta entre todos os membros do poder público.
Fernando Antônio de Oliveira – Professor de História"

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

AS PROMESSAS DE SEMPRE QUE NUNCA SÃO CUMPRIDAS


           RASCUNHO DOS MEUS PALPITES LEIGOS E DIVERSÃO ONLINE


"CHEGA DE MENSALÃO, CHEGA DE PETROLÃO, CHEGA DE RACHADINHA E CHEGA DE ORÇAMENTO SECRETO"
                                                                                                                   Sérgio Moro


        Sei que é um saco ficar batendo sempre na mesma tecla, mas não adianta combater apenas a folhagem e não ir diretamente à raiz do problema.
    E o nosso principal problema é de representatividade, enquanto não houver fiscalização e cobrança a quem realmente manda nesse país, os DEPUTADOS, legítimos representantes do POVO, presidente algum poderá prometer algo que não poderá cumprir.
     O VOTO DISTRITAL MISTO é a única forma de cobrar atitude aos nossos deputados, porque terão que *PRESTAR CONTA DE SEUS ATOS PARA OBTER O VOTOS QUE NECESSITAM PARA VOLTAR AO CONGRESSO NACIONAL.


*         Como um deputado de Muriaé poderá ser cobrado por seu eleitor do norte ou do Sul de Minas Gerais, que lhe deu o voto através de um cabo eleitoral, mas que nunca ouviu falar e nem quem ele é
  Nós, aqui da região, saberemos de fato como foram suas ações do deputado que for nos representar na Câmara Federal, não através de cabos eleitorais, mas de seus oponentes, através de debates locais, que estejam pleiteando o mesmo cargo. 

 


terça-feira, 9 de novembro de 2021

AS SETE MARAVILHAS

SEMPRE FUI UM ENTUSIASTA 
DAS "NOVAS" TECNOLOGIAS 

UMA QUE FICOU NO COMPUTADOR: CLIQUE AQUI

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO 

                         


domingo, 24 de outubro de 2021

BOLSAS "REELEIÇÃO"


         PALPITE LEIGO, RASCUNHO E DIVERSÃO ONLINE



LULA E O ESTADO FORTE


“O PAÍS PERDEU O CHÃO, O FUNDO DO POÇO PASSOU A SER MAIS UM ESTÁGIO EM DIREÇÃO ÀS PROFUNDEZAS... O BRASILEIRO AGORA SE DIVIDE ENTRE A FILA DO OSSO E A FILA DO DESEMPREGO, O NOVO BOLSA FAMÍLIA DE R$ 400,00 É MASTIGADO PELA INFLAÇÃO ANTES DE CHEGAR NO BOLSO ” JOSIAS DE SOUZA

          É matemático, como nas leis físicas, toda ação provoca uma reação, é como nos dois e dois são quatro, o povo receberá de volta as ações que agora supostamente são em seu benefício, não existe despesa sem receita.
          O que vemos hoje no governo Bolsonaro é o Centrão expandindo seus domínios da Casa Civil para a Economia, só querem saber dos benefícios que receberão, em votos, nas próximas eleições. Por que não cortam nas Emendas Parlamentares, no Fundo Partidário ou no Fundo Eleitoral?
          Quem em sã consciência não reconhece a necessidade do "AUXILIO BRASIL”? A economia funciona "mais ou menos" como em nossa família*, no país quando se gasta mais do que a receita a consequência tem nome: déficit, inflação, juros altos, dólar alto e bolsa baixa, e o mais  prejudicado lá na frente é exatamente quem supostamente está sendo beneficiado... o povo mais pobre.
          E não se iludam, essa máscara do “socialmente irresponsável”  cabe em qualquer cara, ela não se sustenta, mesmo quando dirigida para “ativos produtivos” que realmente beneficiam o povo como educação, casa própria, crescimento baseado em endividamento, etc., o Estado forte só funciona enquanto obedecer as “leis físicas e matemáticas”*, primeiro mandato, depois é só reação, “igual e em sentido contrário”.
* Contraditório de Luiz Gonzaga Belluzzo, economista do PT





....

terça-feira, 19 de outubro de 2021

PATERNALISMO REGRESSIVO

 

           RASCUNHO DOS MEUS PALPITES LEIGOS E DIVERSÃO ONLINE


CAMINHÃO DE  LIXO EM UM BAIRRO NOBRE DE FORTALEZA

      Há muito abandonei essa história de trazer para a política a nossa tendência à dualidade, como se fossemos conduzidos por processos biológicos de vida ou morte, vigília ou sono, mas também em outras formas de duplicidade na maneira de pensar como oito ou oitenta, bom ou mau, Lula ou Bolsonaro, Deus ou diabo, Atlético ou Cruzeiro (coitado), etc., e ir à raiz dos problemas em vez de ficar criticando superficialmente apenas a folhagem.
         O que estamos precisando é de sinergia, concentrar esforços, focar no sentido de abandonar esse paternalismo regressivo do “pai protetor” e começar a pensar coletivamente “do alto” ou “à frente”, em vez dessa lateralidade improdutiva de “esquerda e direita”.
          Com um governo no nível do presidente Bolsonaro, a população brasileira em vez de procurar criar novos mecanismos para APERFEIÇOAR AS NOSSAS INSTITUIÇÕES, Câmara Federal com mais representatividade como o Voto Distrital, e listas tríplices para ministros do STF e PGR, elaboradas pela magistratura e a Procuradoria, ou ainda, sem querer dar uma receita pronta, debater com os principais setores da sociedade civil alguma forma de melhorar essas representações, em vez disso, voltaram a criar no ex-presidente Lula a figura do velho mito “salvador da pátria”.
           Mesmo com todas as divergências que tenho com o PT, quinta-feira passada compartilhei um vídeo do ex-presidente em que se antecipou ao problema bem antes dessa cena horrível do caminhão de lixo em um bairro nobre de Fortaleza, mas que precisa ser dita e repetida infinitas vezes até que, definitivamente, as pessoas acordem dessa letargia cívica em que se encontram :
CLIQUE NO LINK PARA VER A FALA DO PRESIDENTE LULA:

domingo, 17 de outubro de 2021

CALA A BOCA FERNANDÃO


UMA ROLHA NÃO... VÁRIAS!!!


 

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

VOCÊS PENSAM QUE EU TAMBÉM NÃO GOSTARIA DE TER FÉ?

 

           RASCUNHO DOS MEUS PALPITES LEIGOS E DIVERSÃO ONLINE

CÂNTIGO NEGRO - JOSÉ RÉGIO 

Youtube: https://youtu.be/LUO2GKxzlbI

Não deixem de clicar nos links

          Faço "perguntas céticasporque conheço o canto das sereias, assim como Ulisses, sei que o seu "canto tem encanto" irresistível, por isso, apesar de me negar a  colocar ceras nos ouvidos, prefiro escutar as “letras” das canções que cantam, mas por precaução me amarro firmemente no mastro da dúvida.
          Não acreditei nas intenções de Bolsonaro e tenho um pé atrás com o discursos  que atualmente coloca Lula no primeiro lugar nas pesquisas de intenções de votos para a próxima eleição.
         Embora reconheça os avanços sociais na primeira parte de seu governo, não esqueci os resultados de sua política econômica baseada no consumo, corretas em um primeiro momento, mas como não fez as reformas que o país necessitava en
quanto tinha cacife político, não houve investimentos na produção, que é o que faz um país crescer, o governo do PT deu no que deu, e quando já estava na UTI, chamaram tardiamente o liberal Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda que, mesmo com os contingenciamentos, o resultado foi o impeachment político da "presidenta" Dilma. 
          Há alguns anos trocando ideia em uma festa com um assessor parlamentar de um deputado Federal aqui da região, ele discordou dos meus argumentos quando disse que a reforma política é a mais importante (primeiro link abaixo, e aqui também), "que tem outras reformas mais importantes", e citou entre outras a reforma tributária. Pois reafirmo que sem a reforma política, com os deputados que temos aí, reforma alguma resolverá os problemas brasileiros.  
           Em minha opinião leiga o problema do país é parar de acreditar em semideuses e, de fato, "crer" na DEMOCRACIA e na REPRESENTATIVIDADE, e o "milagre" para isso é criar INSTITUIÇÕES FORTES, sobretudo LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO (através de uma PEC), do contrário continuaremos nesse círculo vicioso entre os novos lulas e os próximos incompetentes bolsonaros que virão.


terça-feira, 12 de outubro de 2021

FLEXIBILIZANDO ANALOGIAS NO PENSAMENTO

           RASCUNHO E DIVERSÃO ONLINE



Ao ver este meme fiquei pensando na minha área, História, e fiz uma alusão ao "pacto colonial", no fim do "monopólio da coroa" e "abrir os portos" às novas ideias, "internacionalizar" a imaginação.
Extinguir a matriz do atraso, o "plantation" político da "monocultura de ideias" e a "escravidão" ideológica, estabelecer definitivamente o "livre" pensamento nas questões políticas.
Clique:
CONIUNCTIO OPPOSITORUM (União dos opostos)

domingo, 3 de outubro de 2021

MEA-CULPA

                                                                 RASCUNHO E DIVERSÃO ONLINE




LINKS PARA CONTEXTUALIZAR

                 Esta semana uma amiga, militante petista, declarou que “precisou que Bolsonaro fosse eleito para que as pessoas que antes eram contra Lula reconhecessem o seu verdadeiro valor”, daí lembrei da declaração do youtuber Felipe Neto: “Dói admitir o erro, mas estava errado sobre o Lula, difícil encontrar alguém que era mais anti-Lula do que eu”
                Analisando o que disse a petista sobre reconhecer o valor de Lula e o “cristão-novo”, que tinha de berço “ódio antipetista”, fiquei pensando que nunca cheguei a odiar Lula, mas continuo sendo um crítico de suas políticas econômicas.
                 Não sei precisar até onde eu também possa ter sido influenciado pelo advento das novas tecnologias da informação, que tem interferido nas questões políticas, culturais, sociais e econômicas, mas, ainda assim, sempre tento separar o joio do trigo, e apesar das criticas ao "Lulapetismo", sou pragmático e livre pensador, independente da lateralidade (esquerda/direita) de quem realizou ou propôs uma ideia que possa melhorar a vida das pessoas.
       Já fiz o “mea-culpa” por ter anulado o meu voto nas últimas eleições, antes já tinha cometido outros "pecados", votei no marginal Aécio Neves, meu consolo é que gente muito boa como Marina Silva também cometeu o mesmo engano, e mea-culpa por mea-culpa, até Gilberto Carvalho, por vezes chamado de o novo Golbery ou de "o novo Chalaça de Lula, também já fez a dele.
         Não consegui passar uma borracha nas obras realizadas por empreiteiras no sítio de Atibaia, Controle Social da Imprensa e muito menos o Mensalão e o Petrolão, toda a corrupção e os equívocos dos governos petistas, mas não nego que o país está dividido entre o antes e o depois de Lula por causa de suas políticas inclusivas.
          Mesmo sendo leigo em economia, sei que é verdadeiro o que Lula está pregando para sua campanha do ano que vem, e que colocou em prática no primeiro mandato, que é trazer os “invisíveis” para o consumo, e que essa política criou um círculo virtuoso na economia, todos consumindo a sociedade melhorou, comércio, serviços, indústria e a arrecadação de impostos.
         Nunca neguei os aspectos positivos de Lula, o problema é que a economia não se sustenta baseada apenas no consumo, e quando ele tinha todas as condições para fazer as reformas que o país necessitava, e continua precisando até hoje para atrair investimentos para a produção, preferiu ficar apenas com o culto ao ego através da sua popularidade nas alturas, e quando a conta do consumo chegou, com a população endividada, deu no que deu, tendo que chamar o Liberal Joaquim Levy e os contingenciamentos que ninguém esqueceu quando estava no comando da economia no governo Dilma, mas já era tarde, e o seu inevitável impeachment veio por falta de sustentação política, e foi tudo isso, quer queiram, quer não, que nos levou a este trágico governo Bolsonaro.
           Só lembrando que Lula não foi absolvido,  realmente houve suspeição em julgamento, e todos os seus processos voltaram à estaca zero, e que provavelmente prescreverão, mas ainda assim, na ausência de uma candidatura viável fora dessas verdades que aí estão estabelecidas, entre Lula e Bolsonaro, não tenho a menor dúvida em quem votarei