quarta-feira, 16 de agosto de 2017

DANDO UM TEMPO NO BLOG


Em abril comprei o programa de sites “WebSite X5 Home 12”, e até que eu aprenda dominar a ferramenta estou transferindo do Bloguetando algumas postagens para o “rascunhonline” (http://rascunhonline.blogspot.com.br/), que, em vez desse nome, poderia ter sido “lixonline”, tem muita “limpeza” ainda por fazer, mas como disse a um amigo em uma crítica no artigo Masturbação Intelectual, mesmo sendo lixo resolvi preservar:
Caro Saavedra, você melhor do que eu sabe que um texto é como um filho, e ainda que esse filho possa nos envergonhar, é impossível abandoná-lo.
Você estava certo, os termos eram mesmo chulos, mas fiz essa última postagem no blog porque não tive coragem de abandoná-lo completamente.
Perdoe ficar te amolando com essas bobagens, mas você sabe que sou seu fã, e, enquanto poeta e escritor, você é tudo que eu queria ser.

domingo, 30 de abril de 2017

NO MEU “MACRONISMO FRANCÊS”, O EQUILÍBRIO DO MEU EIXO POLÍTICO ESTÁ MAIS PARA LIBERALISMO DO QUE PARA O SOCIALISMO

RASCUNHO ONLINE




       Depois de muitos anos de incertezas, hoje encho o peito para dizer que minhas convicções são inabaláveis sobre a LIBERDADE em todas as suas extensões.
       Inconscientemente sempre proclamei estas idéias, e sempre estive disponível para discuti-las, não para convencer ou converter alguém, mas para corrigir os equívocos que as certezas, invariavelmente, nos levam a cometer.
       Na juventude minhas crenças eram outras e a boa intenção sempre me posicionou radicalmente contra as diferenças... coloquei em vermelho lá na postagem. Já fui socialista, depois usei o prefixo "social" para "dourar minha pílula", e, lentamente, ao longo dos anos fui deslocando meu eixo político à direita.                 
        Primeiro a "social democrata", depois "social liberal", e recentemente consegui verbalizar-me como um "Macronista" radical de centro",     
        Foi por causa da corrupção e da ingerência administrativa em meu país que assumi e abracei definitivamente esse meu quase LIBERALISMO, "quase" porque ainda acredito em intervenções pontuais do Estado em alguns bolsões de pobreza, sempre com mais pragmatismo do que com sonhos e assistencialismo.
        Os anos forjaram e evoluíram meu respeito às posições divergentes, mas jamais pensarei, direi ou "compartilharei" que quem diverge que ele "VIVE UMA GRANDE ILUSÃO SOCIAL", da mesma forma não aceito que essa pecha se volte para mim.
       Os anos forjaram e evoluíram meu respeito a essas posições divergentes... são dezenas de amigos, meu irmão e até meu filho apontam erros e discutem comigo aquilo que para mim parece inquestionável, os que estão abertos para o confronto de idéias estou sempre disposto a uma discussão, já outros, mais radicais e intolerantes, direciono todo o meu amor fraterno apenas para as nossas convergências pessoais.
        Mas não deixo e ter consciência da realidade que me cerca, em vez de levantar bandeiras políticas, busco causas, e dou um exemplo nesse sentido, em vez de socialismo e liberalismo, prefiro parafrasear a Ministra Carmen Lucia: "O Estado brasileiro já é mínimo para quem chega a um posto de saúde e não tem nem um esparadrapo...", meus porquês, pragmaticamente, se direcionam à corrupção.
        É a VIDA que segue com todo o esplendor que as saudáveis divergências proporcionam.

Rascunho online em 05/05:  substituo "intervenções pontuais" por permanentes intervenções em bolsões de pobreza

sábado, 18 de fevereiro de 2017

SÓ ME RESTOU CHORAR NO TRAVESSEIRO

RASCUNHO ONLINE
                Não tinha me dado conta, mas o que estava ruim, ficou muito pior, e com o leite derramado, só me restou, inconsolavelmente, chorar no travesseiro.
          Ninguém transfere experiência para alguém, muito menos quando esse “ninguém” está na minha idade... Como disse o escritor Pedro Nava, “a experiência é como o farol de um carro voltado para trás, não serve para nada"... Quem vai se interessar pela minha bagagem de vida?
            Na época ainda não era casado e não tinha filhos, o que teria sido muito pior, mas ainda assim, aquele sofrimento não deixou de respingar em meus filhos anos mais tarde
        Não custa lembrar que lucidez, responsabilidade e canja de galinha não faz mal a ninguém, e  que excesso de confiança costuma ser uma terrível armadilha. Cometi esta insanidade aos 22 anos, e amarguei por anos a fio um imenso vazio profissional (...) como uma abelha, procurei em vão, de flor em flor, de emprego em emprego, uma maneira de preencher o vazio devastador que esta atitude impensada teve sobre minha vida."
           E se alguém que você gosta muito,, quase 50 anos depois, cogitar cometer o mesmo erro?

Clique AQUI para contextualizar

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

ALUNOS DO ENSINO BÁSICO NÃO VOTAM

RASCUNHO ONLINE
NOSSA CONFERÊNCIA SOBRE EDUCAÇÃO EM JUQUEY (SP)


“Se eu for um marceneiro, não preciso carregar um soldador. Não tenho porque levar peso desnecessariamente. É isso o que faz o vestibular. Cobra coisas absurdas que um aluno nunca vai usar.” Rubem Alves

         Meu queridíssimo amigo Leonardo de Pádua, neste final de semana, tomando “suco de cevada”, mergulhando nas águas quentes de Juquey e jogando conversa fora, perguntou o que eu achava da reforma do Ensino Médio. 
         De pronto respondi o que tenho falado aqui desde o início, que o maior pecado desta reforma foi ter sido feita por medida provisória, mas que ainda assim era melhor do que nada... o aluno escolhe as matérias com mais identificação, e, por conseqüência, irá melhorar os conhecimentos em sua futura carreira profissional.
          Léo ainda levantou a inconveniência da idade, “um aluno de 14 anos pode se arrepender da escolha e deixar de aprender matérias importantes caso mude a opção de curso. Respondi que não tinha pensando ainda nessa possibilidade.
          Mas agora minha visão clareou um pouco a este respeito, será que um aluno com 17 anos já teria essa convicção? Do jeito que estava "nem tico, nem teco", o aluno vinha para o Ensino Médio com "menas" bagagens que alunos de alguns países africanos com menos recursos que o Brasil.
           E reafirmo o que lhe disse... Se pelo menos 50% do dinheiro gasto com educação nos últimos 10 anos fossem direcionados para o Fundeb (da pré-escola à 9ª série), o Brasil de hoje seria outro... a construção tem que começar pela base, nunca pelo telhado.
           Em vez disto gastaram bilhões em programas para expansão de universidades... "Universidade todos" (PROUNI e REUNI), além do financiamento para alunos em universidades particulares e, portanto, pagas, favorecendo a mercantilizarão da formação e muito dinheiro no bolso dos donos destas universidades, em sua maioria políticos (FIES), mais bilhões para o ensino técnico (PRONATEC), sem falar nos outros bilhões gastos na construção dessas escolas técnicas Brasil afora.
             Agora não adianta "chorar o leite derramado", tinha muita esperança de mudança era com a lei assinada pela presidente Dilma Rousseff em 2013, que determinava 75% dos royalties do petróleo e 50% do chamado Fundo do Pré-sal fossem destinados à educação, mas com o "contingenciamento" iniciado por ela mesmo por causa do excesso de gastos, queda no preço do petróleo (na época U$ 110 o barril), e seu sepultamento definitivo agora com Henrique Meirelles, todas as esperanças se foram.
           Começar a construção educacional de cima para baixo só tem uma explicação: aluno da pré-escola à 9ª série não votam.
         

No "QUEM SOU EU", aqui no blog:
"... estou aberto a qualquer discussão, não para impor pontos de vista, mas para aprender e até mudar de opinião se os argumentos forem mais consistentes que os meus."


TRÊS POSTAGENS NO FACEBOOK, DA NOITE PARA O DIA





segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

“GASTAR DINHEIRO COM PRESIDIÁRIOS? DEIXE QUE ELES SE DEGOLEM"

RASCUNHO ONLINE

         O professor Darci Ribeiro previu que a falta de investimento na educação básica faria faltar, por demanda, dinheiro para a construção de presídios... gastamos mais dinheiro com presos do que com estudantes, e exatamente pela falta de educação, nos deparamos com pessoas que "pensam" que “os presos mortos, esquartejados e decapitados, como aconteceu no AM, RO e RN tiveram o que mereciam, e que é um absurdo gastar dinheiro com presidiários”.
             Ali na esquina dessa nossa pequena aldeia global, estão fechando presídios por falta de presos (Suécia), na comunidade vizinha fecharam 19 cadeias nos últimos anos e transformaram penitenciárias em Hotéis (Holanda), uma terceira consegue reabilitar 80% dos presos (Noruega).
       Aqui, apesar do presságio de Darci Ribeiro, investiram em educação de cima para baixo, começaram esta importante construção pelo telhado, gastaram bilhões criando não sei quantas universidades, financiaram milhões de estudantes em universidades particulares e investiram pesadamente no ensino técnico, porém, a EDUCAÇÃO BÁSICA continuou como nos tempos do antropólogo.
           O Brasil ocupa o 53º lugar em educação (CLIQUE), ou o 60º lugar entre 65 países avaliados (PISA)... Não dá para acreditar que alguns educadores ainda tem coragem de encher o peito para proclamar os absurdos investimentos educacionais da última década.